Biografia

Nascido em Maio de 76 em Bento Gonçalves, ainda criança mudei-me com a família para Canoas, aos 10 anos de idade minha Mãe comprou um violão para fazer aulas e como ela não teve mais tempo para aprender o violão, acabou se tornando meu brinquedo, por muito tempo só fiz barulho até um dia ganhar uma revista de cifras e comecei a aprender e treinar, mas daí apareceu o contrabaixo que acabou se tornando meu instrumento preferido. Aos poucos comecei a notar a necessidade de ter aulas de baixo e comecei aumentar meu conhecimento musical, foi quando começou a surgir as bandas, colegiais com amigos do bairro, da escola, ensaios de garagens com repertório de covers de rock nacional e internacional. Mas logo comecei a ir para o lado do rock pesado, com apresentações em festivais, parques e bares. Paralelamente minha irmã tornou-se cantora e me convidou para formar uma banda cover de The Cranberries e fui, após quatro anos de estrada meu trabalho exigiu mais atenção e tive que abandonar a música, vendi os equipamentos e abandonei as bandas.

Passado os anos e com o surgimento do Facebook, surgiu um post compartilhado de amigos que a banda Fusion estava testando Baixista e me ofereci para conhecer os integrantes e a proposta da banda, foi quando conheci Thiago Trindade e comecei a tocar com a Fusion, mas havia dificuldade de encontrar um guitarrista base, foi quando lancei a idéia de tentarmos um baixista e eu parti para guitarra, foi quando surgiu Julio Caudo Velho, que assumiu os graves com muita competência. Tudo andava bem quando começaram a surgir meus problemas de saúde, desenvolvi esclerose multipla e no primeiro surto da doença perdi todo o lado esquerdo do meu corpo, visão, audição, movimentos de braço e perna, e para completar o baterista também veio à adoecer, foi que a banda Fusion acabou parando. Eu segui minha vida de reabilitação, já conformado com a possibilidade de abandonar a música, foi quando vi uma reportagem sobre reabilitação com auxilio da música achei uma luz, comecei a usar um tecladinho infantil e aos poucos pegando a guitarra, com empenho e determinação, ajuda de muitos amigos, retornei a minha vida. Foi quando minha irmã me convidou para participar de uma banda cover de hits dos anos 70/80 e 90, a Banda Driade.

Sabendo do meu retorno à música Thiago me procurou para um novo projeto, a Clube Social Urbano, junto com Julio Caudo Velho, Davi Trindade e Ricardo Nunes e que fariam música autoral com letras fortes sobre o cotidiano, então abracei a causa, nesse periodo Davi teve que deixar as baquetas da CSU para focar na sua profissão, foi quando entrou Cristiano Martins, que completa a formação de hoje. Curiosidade: Após 4 meses de ensaio com a CSU descubro que Ricardo Nunes é primo da minha esposa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *